Publicado por: J.Pinto | 2010/02/06

O Estado-Providência e a crise


A crise de 1929 veio, finalmente, provar que o regime liberal falhou. As consequências da total liberdade e iniciativa privada tornaram-se demasiado nefastas para a sociedade. Para esquecer e remediar os excessos do liberalismo económico vividos até então, muitos países viram no regime totalitário o único caminho para a salvação. A única forma de por ordem nos países foi um regime totalitário, controlado e conservador.

Por razões diferentes, alguns dos vícios que lograram na crise de 1929 estão presentes na sociedade de hoje, apesar desta sociedade já não estar protegida pelo liberalismo económico. Hoje, na maior parte dos países europeus impera o Estado-Providência. Os erros do passado voltam a surgir, a maior parte deles perigosos. Estará o Estado-Providência em crise?

Hoje, ao contrário da crise de 1929 e das guerras que se lhe seguiram, não se pede a abolição do Liberalismo. O Estado já intervém na economia e os custos associados são bem mais elevados que outrora. Na altura, o Estado tinha pouco peso na economia e pedia-se que a sua intervenção, principalmente nas áreas sociais e económicas, fosse mais visível. Apareceram então o Socialismo e a Social-democracia como solução para os problemas surgidos.

Hoje, o peso do Estado na economia já é elevado e pedir ainda mais intervenção do Estado terá reflexos negativos para o futuro, pois os recursos utilizados serão pagos no futuro. Por isso, o cerco está cada vez mais apertado….

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: