Publicado por: J.Pinto | 2010/01/11

Desmistificar o problema dos impostos que recaem sobre os salários dos trabalhadores


Ao longo da minha, ainda, curta passagem por este planeta, várias vezes me tenho deparado com algumas alarvidades inconscientes proferidas por alguns indivíduos pouco cientes da realidade. Por outras palavras, sempre que se pergunta a alguém quanto ganha, a resposta é inevitável “ganho pouco, os patrões querem-no é para ele”, referindo-se, presumo eu, ao “pouco” dinheiro despendido por aquele patrão malandro. Posto isto, será importante fazer as contas quanto ao dinheiro ganho pelo funcionário e correspondente, ou não, valor gasto pelo patrão. Imaginemos um funcionário que ganha 1000€ de ordenado bruto mensal. O patrão, diz a legislação, está incumbido de lhe reter 11% (110€) do seu salário para a Segurança Social. Visto que este funcionário é casado e tem 2 filhos, segundo as tabelas de retenção na fonte, o patrão reter-lhe-á a título de IRS mais 7% (70€) da sua remuneração. Por que este mês teve 22 dias de trabalho e o patrão costuma pagar 5€ diários de subsídio de refeição, este funcionário verá acrescer ao seu ordenado mais 110€ (5 *22). Fazendo muito bem as contas, este funcionário receberá no final daquele mês a “módica” quantia de 930€. Esta é a conta da sua vida. O funcionário jurará a pés juntos que o seu custo para a empresa é aquele e nada mais do que aquele. Sabemos todos que o patrão paga à Segurança Social, por sua conta, 23,75% do salário de cada funcionário. Assim, deverá desembolsar perante a Segurança Social mais 237,5 euros. Mais uma vez as contas não enganam: 1000 + 110 (subsídio de alimentação) + 237,5 = 1347,5€. É este o valor que este funcionário custa á empresa. Poderia ainda acrescentar os custos administrativos (contratos, processamento de salários, etc.) e os custos com seguros de acidentes de trabalho, que é obrigatório.


Responses

  1. Essa é a velha história de quem recebe achar que recebe pouco e quem paga achar que paga muito!
    Na verdade a entidade patronal tem muitos custos com o trabalhador, embora considere que os descontos dos trabalhadores não são propriamente baixos.
    Independentemente do lado em que estamos (empregadores ou empregados) teremos que concluir que o trabalhador tem que produzir mais do que custa, só assim compensará à empresa, que não é propriamente a santa casa da misericórdia! Elas têm intuitos lucrativos.
    Claro que também não concordo com a exploração…de ambos os lados!

  2. Olá memr,

    Este pequeno artigo tem como objectivo apenas clarificar alguns conceitos, muitas mal interpretados pelos trabalhadores.

    Em termos profissionais, estou dos dois lados e sei que existe claramente maus empregadores e maus funcionários. Também existe o inverso, excelentes empregadores e excelentes trabalhadores.
    ´
    Sei que existem empresas que escravatizam os seus trabalhadores, tendo a empresa uma vida saudável, portanto escravidão desnecessária. A gestão moderna está muito assente na motivação dos funcionários. A maior parte das empresas não sabe nem quer sabe como fazê-lo…..

    Em termos de impostos, não haja dúvidas que são elevados quer para as empresas quer para os particulares.

  3. Gostei do artigo!

  4. Desculpe a pergunta de um ignorante mas… o que é que tem a ver o valor do meu trabalho com a carga fiscal que que incide sobre os ordenados??!!!

    Uma coisa é aquilo que o meu trabalho vale, outra coisa diferente é a carga fiscal que incide sobre aquilo que me pagam. Aquilo que me pagam, e em muitos casos, nem sempre coincide com o valor do meu trabalho, certo?

    Ou não será assim?

    • Boa tarde caro Leitão,

      Tem razão, o valor do seu trabalho, muitas vezes, não é pago pelo devido valor, infelizmente, muitas vezes abaixo do seu real valor.

      No entanto, e é esse o objectivo deste post, é mostrar que o custo (e não o valor) associado ao pagamento do seu salário, devido, em muito, à carga fiscal sobre os ordenados, é muito superior ao que na realidade o trabalhador leva para casa.

      Quanto ao valor do trabalho, sabe, ele depende de muitos factores, que não são identificados neste post.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: